domingo, 11 de abril de 2010

(... ) José Outeiral comenta o filme (...)


"Sempre é um risco interpretar uma obra de arte, por isso que a biografia de um poeta não pode ser mais do um pé de página. Nós psiquiatras também temos que ter muito cuidado ao interpretar um paciente. Para organizarmos a nossa personalidade é realizada uma divisão em três partes: o espaço, o tempo e a relação social.

O primeiro espaço da gente é dentro do útero materno e daí nos encontramos em vários outros, é o consciente e o inconsciente. Nós somos seres históricos, precisamos de uma historização . A relação emocional tem grande importância nas relações emocionais. Só conseguimos nos personalizar na presença de outro indivíduo.

O filme revela dois tipos de espaço: a casa original da menina (com a presença da dor, sofrimento, momentos de violência) e o momento em que ela recebe amor daquelas mulheres que não têm vínculos de parentesco com ela.

É duro a perca de um familiar muito cedo, faltam elementos para a construção da identidade da pessoa. No momento em que August releva uma caixa com guardados da mãe de Lily ela busca seu inconsciente abrindo a caixa de guardados, isto é em parte a psicanálise.

(...)

Pensem que no filme cada um de nós é parte de um personagem, (somos uma multiplicidade de personagens). Viver em sociedade em parte é reprimir os impulsos"


Obs: Para saber mais sobre José Outeiral, baixar artigos dele e saber quais são as suas publicações entre no site: www.joseouteiral.com


Cinema e Psicanálise - O Desenvolvimento em Cena



Na última sexta-feira, 9, a programação Cinema e Psicanálise - O Desenvolvimento em Cena, do Colégio Ari de Sá, sede aldeota, apresentou o filme:A sociedade secreta das abelhas e trouxe como palestrante o médico e psicanalista Dr. José Otoni Outeiral que é Full Member da Associação Internacional de Psicanálise.

A programação é um organização do grupo de estudo do colégio chamado: Só Freud.


A Vida Secreta das Abelhas relata a vida dessa menina que está sozinha e, sem destino, decide seguir sua tutora e amiga Rosaleen em uma cidade no interior do estado, onde conhece August, a mais velha das irmãs Boatwright. August é inteligente e independente, e mostrará muitos detalhes da vida da mãe de Lily, que ela não tinha conhecimento.

Lily descobre que as irmãs Boatwright possuem uma criação de abelhas, onde ela encontra um consolo. Para proteger sua casa e irmandade, August pratica vários rituais e orações. Na história do filme A Vida Secreta das Abelhas, as colméias simbolizam a mesma coisa que a virgem Maria simboliza como a mãe de todas as pessoas. No filme, as mulheres significam as comunidades de colméias.


Confira!


Juntamente com as palestras há sempre a exibição de filmes para ajudar na visualização das discussões.

(Mais informações: www.aridesa.com.br)

Psicanálise para todos!



NOVA CAMPANHA DO SUS: PSICANÁLISE PARA TODOS

AGORA VOCÊ FALA QUANTO TEMPO QUISER E NÃO PAGA NADA!

Foto do divã de Freud



Freud desenvolveu a técnica de trabalho do analista com o divã (o paciente deita-se no divã para que possa se sentir mais à vontade para falar livremente e ficar distante dos estímulos, por exemplo, o olhar do analista ou suas expressões faciais eventuais que ocorrem durante a sessão).

A sessão de análise dura 50 minutos, sendo que certas escolas de psicanálise criadas depois de Freud usam outros parâmetros para o tempo de duração da sessão. São aconselháveis algumas sessões por semana para facilitar o trabalho. Um tratamento psicanalítico não possui uma duração prevista e, geralmente, avança por alguns anos.

O analista deve ouvir o paciente e manter a "atenção flutuante", interpretar a fala do paciente, suas atitudes na sessão, seus sonhos, quando necessário. O paciente realiza um trabalho de recordação, não só da origem dos sintomas, mas da sua própria história particular; e para isso ele deve falar.

Por que fazer uma análise?


Cada qual pode encontrar diversos motivos para explicar porque procurou fazer uma análise mas, de modo geral, quem procura um analista, possui por algum sofrimento do qual não consegue se livrar. São os chamados traumas.

Desde o início a psicanálise foi um processo terapêutico e nunca deixou de ser Freud em 1932 nas 'Novas Conferências Introdutórias sobre Psicanálise' defendeu a psicanálise como a mais poderosa de todas as terapias.

É inegável que a psicanálise produz efeitos curativos, e a diminuição ou desaparecimento do sofrimento do paciente ligado aos sintomas pode ocorrer depressa demais (logo no início da análise) ou mais tardiamente.

Todo analista espera melhoras no estado de seu analisando, mas não é a cura um critério psicanalítico para avaliar os progressos do paciente, como é o caso da medicina.

Entretanto, a idéia de cura, está no centro da decisão de um paciente de consultar um psicanalista e o desejo de curar-se é um fator indispensável ao início do processo analítico. Para começar a análise e manter o esforço que o empreendimento analítico exige, é preciso que o paciente se queixe de sintomas e aspire à cura.

Ocorre que essa demanda é substituída lenta e progressivamente por manifestações transferenciais que logo tomam seu lugar. O paciente passa a transferir para a pessoa do analista sentimentos oriundos de suas primeiras relações [familiares], que vão do amor à sentimentos dolorosos.

A demanda de cura se transforma numa neurose de transferência. Isso acontece porque o mesmo paciente que quer curar-se, procura também manter sua doença, seus sintomas.

Freud escreveu que os sintomas são atividades eróticas dos neuróticos e o desejo de não curar-se é um obstáculo muito grande para o tratamento.

Contudo, a criação de uma nova neurose de transferência na relação com o analista, ao mesmo tempo, que obedece ao desejo de doença do analisando é também a possibilidade que o analista tem, através do manejo e análise dessa transferência, de auxiliá-lo a libertar-se desse desejo e do sofrimento que o acompanha.


Sobre a psicanálise




Freud iniciou seu trabalho usando o hipnotismo com o objetivo de fazer com que as pacientes reproduzissem as situações traumáticas que estavam na origem de seus sintomas. Posteriormente, descobriu que os pacientes não precisavam ser hipnotizados e que a recordação por meio da sugestão, era um método mais eficaz para eliminar, alterar ou diminuir os sintomas.

Mais tarde, Freud chegou ao método psicanalítico propriamente dito, e passou a orientar a seus pacientes que falassem sobre qualquer coisa que lhes viessem à mente, mesmo que pudesse parecer sem importância, sem relação com seus problemas, ou que fossem reprováveis. Esta é a "regra fundamental" da psicanálise, que é apresentada a cada paciente e com a qual todo paciente deve colaborar.

Freud descobriu que todos esses pensamentos, lembranças, fantasias, tinham relação com os sintomas. Ele acreditou no valor das palavras e propôs aos pacientes a recordação e até mesmo a "construção" como método de tratamento psíquico. Descobriu que o sintoma tem um sentido, ou múltiplos sentidos que foram esquecidos pelo sujeito ou que nunca lhe foram conscientes. Para a psicanálise, os sintomas psíquicos são formas substitutivas de satisfação e estão relacionados à sexualidade infantil reprimida.



Até DEUS faz terapia com Freud!

O quadrinho acima relata a principal função do psicanalista: ouvir as histórias de vida de seus pacientes.

Mas, o que é Psicanálise?

É um campo clínico e de investigação teórica desenvolvido por Sigmund Freud.

É uma ciência ou arte que fica entre a psiquiatria e a Psicologia Convencional, Enquanto a psiquiatria estudo a bioquímica humana, a interação do sistema neural e hormonal com o o humor humano e a Psicologia Convencional estuda o comportamento do homem enquanto indivíduo que pensa, sente e se encaixa na sociedade, a Psicanálise estuda o homem enquanto ser que pode sofrer distúrbios psíquicos e para-psíquicos. A Psicanálise através de métodos convencionais e não convencionais trabalha com o ajustamento do psicopata, neurótico, esquizofrênicos, psicóticos, deprimidos, angustiados, Viciados, suicidas e outros do gênero.

terça-feira, 30 de março de 2010

Nas ondas de Freud - O que ele diz sobre a natureza humana?


Freud argumentava que os humanos nascem "polimorficamente" perversos. Para ele o desejo é o que põe em movimento o aparelho psíquico e orienta segundo a percepção do agradável e do desagradável.

Ainda segundo o psicanalista, o humano é diferente dos demais não somente por necessidades biológicas e físicas, como a de ter que se alimentar para sobreviver.O homem também nasce com a capacidade de sentir prazer em várias partes de seu corpo, e a vivência que tem dessa capacidade é tão importante para seu desenvolvimento quanto o alimento. Há uma leitura do humano essencialmente inadaptado, como colando os fins do prazer sempre acima dos fins da sobrevivência.


A interpretação dos sonhos, a sexualidade das crianças e seus desdobramentos no adulto, o reconhecimento da existência de desejos sexuais e da ambivalência dos afetos infantis em relação aos pais, são tópicos importante a se tratar. A invenção de um método de tratamento terapêutico ( a psicanálise) para a investigação e tratamento das neuroses e depois, por extensão, de outros distúrbios mentais, constitui outro grande tema.



O olho de Freud


Preâmbulo do livro "Do sujeito à imagem - Uma história do olho de Freud", de Hervé Huot:

"O olho atravessa a vida, a prática, a obra de Freud. Todavia, passa quase despercebido. Ao dar a palavra aos textos de Freud, aos seus livros, seus artigos, suas cartas, suas conferências e intervenções verbais, tentei revelá-lo, escrever uma história do olho através de Freud, uma história que interessa à psicanálise.

No último decênio do século XIX, os irmãos Lumière inventam o cinematógrafo e Freud a psicanálise.É possível não ver nenhuma relação nisso, mas também se pode pensar que estes dois acontecimentos traduzem ou produzem uma nova relação do sujeito a imagem: sem dúvida não é anódino que Freud tenha escolhido, para praticar a psicanálise, ver sem ser visto"

ID, EGO E SUPEREGO

video

Freud formulou os conceitos de «id», «ego» e «superego».A partir dele, os comportamentos anti-sociais são compreendidos como um resultado, em muitos casos, de forças inconscientes.

Biografia


Neurologista austríaco, nasceu em Freiberg, Morávia (actual República Checa), em 1856 e morreu em Londres em 1939. Freud fundou a Psicanálise e esta teoria teve um grande efeito na psicologia e na psiquiatria. Desenvolveu teorias que dizem respeito a uma camada profunda da nossa mente: o inconsciente e a forma como este influencia as ações dos homens.

As principais obras de Freud são: A Interpretação dos Sonhos (1899), Três Ensaios sobre a Teoria da Sexualidade (1905), O Inconsciente (1915), Introdução à Psicanálise (1916-1917), Psicologia das Massas e Análise do Ego (1923), Psicanálise e Teoria da Libido (1923), Neurose e Psicose (1924). No livro A interpretação dos Sonhos, Freud analisa a grande complexidade simbólica subjacente à formação dos sonhos.

Em 1905 aparece o seu estudo mais controverso, no qual Freud apresenta a teoria que afirma que a repressão da sexualidade infantil está na origem de neuroses em adulto (o complexo de Édipo é um exemplo). As suas teorias levaram a uma maior aproximação ao tema da sexualidade.

segunda-feira, 29 de março de 2010

Veja a primeira parte do filme Além da alma!



video


Freud, além da alma, foi dirigido por John Huston em 1962. O filme cobre o período da vida do "pai da psicanálise" desde que ele se graduou no curso de Medicina na Universidade de Viena até a formulação da sexualidade infantil.

O roteiro original do filme foi elaborado pelo filósofo existencialista, Jean-Paul Sartre. Coube a Charles Kaufman e Wolfgang Reinhardt adicionar um certo sabor hollywoodiano ao roteiro. O galã da década de 50, Montgomery Clift, foi escolhido para ocupar o papel de Sigmund Freud.


Inconsciente e a hipnose

video

Complexo de Édipo

Freud baseou-se na tragédia de Sófocles(496-406 a.C.), Édipo Rei, para formular o conceito do Complexo de Édipo, a preferência velada do filho pela mãe, acompanhada de uma aversão clara pelo pai.

Na peça, Édipo matou seu pai Laio e se comprometeu em matrimônio a própria mãe, Jocasta. Após descobrir que Jocasta era sua mãe, Édipo fura os seus olhos e Jocasta comete suicídio.

Sófocles, utilizou este mito para suscitar uma reflexão sobre a questão da culpa e da responsabilidade perante as normas, éticas e tabus estabelecidos por sua sociedade.


video


A propaganda do Museu de Arte de São Paulo nos mostra o conceito desenvolvido por Freud!

Algumas frases de Freud





"O sonho é a satisfação de que o desejo se realize"

"Qualquer coisa que encoraje o crescimento de laços emocionais tem que servir contra as guerras"

"Um homem que está livre da religião tem uma oportunidade melhor de viver uma vida mais normal e completa"

"A ciência não é uma ilusão, mas seria uma ilusão acreditar que poderemos encontrar noutro lugar o que ela não nos pode dar"

"A inteligência é o único meio que possuímos para dominar os nossos instintos"

"A renúncia progressiva dos instintos parece ser um dos fundamentos do desenvolvimento da civilização humana"

"É escusado sonhar que se bebe; quando a sede aperta, é preciso acordar para beber"

"Os judeus admiram mais o espírito do que o corpo. A escolher entre os dois, eu também colocaria em primeiro lugar a inteligência"

"O pensamento é o ensaio da ação"

"Nenhum ser humano é capaz de esconder um segredo. Se a boca se cala, falam as pontas dos dedos"

"A felicidade é um problema individual. Aqui, nenhum conselho é válido. Cada um deve procurar, por si, tornar-se feliz"